Fanzine de Bits

Menu
Videogames

ARTIGO0048_capa

O primeiro e único Playstation que eu tive eu comprei em 5 vezes, paguei com muito trabalho, numa loja em São Matheus em São Paulo. Fui até lá porque, além de estar mais barato que nos outros lugares, eles aceitavam parcelar no cheque, foi uma maravilha. Mas, quero falar sobre isso numa outra oportunidade, só achei legal ter esta introdução pra falar que sim, eu tive um PSX porque o videogame era fantástico e, como eu costumo dizer, foi o mais Nintendo dos consoles da Sony (risos), mesmo considerando toda a história entre Nintendo e Sony e o SNES CD, mas enfim. Entre as centenas de jogos que eu viria a ter para o PSX um deles me marcou muito e ele se chamava Hermie Hopperhead.

COMO EU CONHECI

HermieEm 1997 eu estava fazendo SENAI em Santo André, e como naquela época a grana era bem curta eu tinha que voltar a primeira parte do caminho a pé. Nestas andanças eu sempre passava no calçadão (no centro de Santo André), foi quando eu tive a sorte de conhecer uma loja com uma pequena porta no meio do calçadão, era a Trok Games. Ali eu fiquei amigo do dono (ou diria conhecido, pois nada mais era do que um cliente em potencial), lembro que ali trabalhavam o Valter e o Rubens, mais conhecido como Rubão.

Eu sempre passava pela Trok na volta do SENAI e era comum eu ficar uns bons minutos só olhando, vendo a movimentação e uma vez ou outra comprar alguma coisa, principalmente se fosse uma cópia de algum CD de PSX. Naquela época, com 14 anos, o Valter sabia da minha admiração pelos jogos 2D e um dia pegou um CD perdido na prateleira e me disse: Cara, você vai gostar disso! Comprei uma cópia do CD e levei pra casa, e deu nisso, paixão pelo jogo até hoje, é só ver a minha coleção mais abaixo.

UM POUCO SOBRE O JOGO

Um jogo de aventuraLançado apenas no Japão em 29 de Setembro de 1995 para PSX, pela desenvolvedora Yuke’s, Hermie Hopperhead: Scrap Panic era daquele típico jogo que ainda tinha uma perna nos 16-Bit, com trilha sonora e animações tirando proveito da mídia de CD e alguns efeitos em 3D, mas ainda com a cara de aventura em 2D que aprendemos a amar na época do Super Nintendo. Quando eu joguei pela primeira vez eu virei fã de imediato, divertido, rápido, cheio de coisas pra pegar na tela, monstrinhos amigos e inimigos, uma formula de sucesso.

Você é Hermie e está esperando por sua namorada Trish para um encontro marcado, quando algo estranho acontece e você é transportado até um lugar desconhecido chamado Eggtune, que fica do outro lado da lua. Daí em diante você e seu mais novo companheiro, o Otomo, terão que enfrentar os inimigos passando por 9 mundos e suas 65 fases para tentar voltar para a Terra. Não é uma jornada fácil, mas posso garantir que será muito divertida.

O PRIMEIRO E SEGUNDO JOGO

CD do primeiro jogoDepois de passar anos jogando minha cópia de Hermie Hopperhead, tive a oportunidade de comprar o CD original durante uma viagem para os EUA, comprei no E-bay mesmo, paguei barato e voltei feliz, estava com o meu Hermie completo, manual, na caixa. Mas, cerca de 1 ano depois eu tive a grande sorte de encontrar um outro jogo estrelado pelo Hermie que se chamava Tamago de Puzzle, lançado apenas no Japão também. Era um jogo no estilo de Tetris, bem divertido e que trazia novas animações. Comprei pensando que era um jogo qualquer e logo descobri que se tratava de algo raro, que sorte a minha, pois paguei bem barato. É um dos itens que mais gosto na minha coleção.

MINHA COLEÇÃO

Bom, deixei a parte legal pro final, onde eu listo os itens da minha coleção, cada um mais legal do que o outro. Veja:

Minha coleção

1. Caneca de cerâmica: Com aquela ilustração clássica em que o Hermie está com os mascotes olhando um dos ovos, do lado tem a imagem título do jogo. Foi um item que eu pedi para fazer customizado, com estas empresas que fazem canecas mesmo. Não uso ela no dia a dia, mantenho apenas na estante.

2. Boneco do Hermie: Mais um item que eu paguei para fazer, é um dos meus preferidos na coleção. Muito bem feito, e ele simula a ilustração muito conhecida que é a do personagem dando um joia pra frente.

3. Guia do Jogo: Este mini livro é um guia para o jogo, um passo a passo com todas as telas, gosto muito dele mesmo estando totalmente em japonês. Comprei durante uma viagem que fiz para os EUA em 2009, é um guia oficial, internamente ele tem algumas páginas coloridas e o restante é apenas em uma única cor.

4. Hermie feito de beads: Este é um boneco 2D/Sprite que eu paguei pra fazer em Perler beads, um tipo canudos de plástico cortados que formam alguma imagem, gosto muito disso, tenho outros personagens neste tipo de material.

5. Imã de Geladeira: É um enfeite daquelas que a gente coloca grudado na geladeira, mandei customizar também, mas nunca coloquei na minha geladeira (risos).

6. CD do Jogo: Esta é o jogo original Hermie Hopperhead: Scrap Panic, que eu adoro, paixão à primeira vista. Este é o exemplar original que eu tenho com manual e tudo.

7. CD do jogo de Puzzle: O CD que eu disse ter encontrado por sorte e descobri depois que ele era considerado raro, o Tamago de Puzzle. Vem com manual e algumas novas ilustrações.

E POR FIM

Conhecer o Hermie logo na transição dos 16 para 32-Bit foi algo ótimo, que até hoje me traz um sentimento de nostalgia. O jogo foi tão marcante que mesmo hoje em dia eu jogo e me divirto, queria muito uma continuação dele, mas não acredito que seja possível, pois nem tivemos uma versão em Inglês, o que é uma pena. Porém, o que é bom fica na memória, e o Hermie Hopperhead ficará na lembrança com certeza.

Tags:

Comentários

  • Vinícius Sales

    Cleber, depois diga onde mandou fazer o boneco e beads art. O trabalho ficou muito bem feito.

    • http://www.clebermarques.com Cleber Marques

      Vinicius, na época que eu fiz num tinha ninguém no Brasil oferecendo isso e dai comprei o “serviço” de uma pessoa na Espanha. Mas atualmente acredito que vc possa encontrar algo aqui: https://www.facebook.com/beadsartbrasil

  • Monica Pinheiro Bombinhas Bras

    quero saber se tem esse jogo para jogar hoje